Peguei Covid-19 no ambiente de trabalho: quais são os meus direitos?

Essa é uma dúvida cada vez mais frequente entre os trabalhadores, principalmente aqueles que atuam no setor da saúde e na linha de frente no combate ao coronavírus.  Saiba quando a COVID-19 será caracteriza como acidente de trabalho. 

Covid-19 é acidente de trabalho? Essa é uma dúvida cada vez mais frequente entre os trabalhadores, principalmente aqueles que atuam no setor da saúde e na linha de frente no combate ao coronavírus.

Com a suspensão da eficácia de 2 artigos da Medida Provisória 927/20 pelo Supremo Tribunal Federal, a contaminação pelo coronavírus pode ser enquadrada como doença ocupacional e, consequentemente, caracterizar o acidente de trabalho.

A decisão do STF trouxe algumas implicações práticas para o dia a dia do trabalhador.

Assim, caso tenha COVID-19, o trabalhador tem direito ao auxílio doença e estabilidade no emprego por doze meses, após retornar para as suas atividades.

Em caso de morte ou dano permanente, também existe a possibilidade de o trabalhador pleitear uma indenização em face do empregador.

Porém, nesses casos, será preciso comprovar o nexo de causalidade, isto é, o trabalhador deve comprovar que a contaminação de fato se deu no ambiente de trabalho.

Vale destacar que em 19.07.21 a referida Medida Provisória perdeu sua validade. Por isso, é comum que mais questões surjam a respeito do tema.

A decisão do STF vale para o caso de contaminação pelo covid-19 no trajeto do local de trabalho para casa e no trabalho em home office?

A contaminação pela COVID-19 será caracterizada como doença ocupacional somente se ocorrer no trabalho presencial ou no trajeto do trabalho para casa.

Isso porque a decisão levou em consideração a razoabilidade, de modo que não é razoável culpar o patrão pelo descuido do funcionário que está trabalhando em home office e não cumpre as regras de isolamento.

É preciso demonstrar a culpa da empresa pela contaminação do empregado?

Nessas situações, é possível atribuir dois tipos de responsabilidade da empresa.

A primeira forma é a responsabilidade em que não se precisa comprovar a culpa da empresa, bastando a contaminação do empregado para que ela seja responsabilizada.

Essa responsabilidade ocorre somente nas circunstâncias em que a atividade exercida pelo empregado o expõe ao risco de ser contaminado, como é o caso dos enfermeiros, médicos, etc.

A outra forma de responsabilidade é aquela em que precisa demonstrar a culpa do patrão para que a empresa seja responsabilizada.

Essa responsabilidade se aplica para as atividades que não se relacionam com o risco de contaminação diretamente.

Vale destacar que nas duas formas de responsabilidade é preciso comprovar 2 fatores: o dano e o nexo de causalidade.

O que o empregado tem que fazer para provar que se contaminou por conta da função exercida no ambiente de trabalho?

A justiça trabalhista entende que é responsabilidade da empresa provar que o empregado não se contaminou no ambiente de trabalho.

Para isso, a empresa deve comprovar que adotou as medidas necessárias para proteção e higiene recomendadas pelo Governo.

Desse modo, não é razoável exigir que o empregado comprove essa situação.

No entanto, o trabalhador pode colaborar com as provas, demonstrando que a empresa não concedia, por exemplo, os equipamentos para proteção individual e que não realizava a higiene adequada do ambiente de trabalho ou permitia a permanência de clientes em máscaras.

Quais são os direitos que o trabalhador tem a partir do momento em que a COVID é enquadrada como doença ocupacional?

Quando o trabalhador é afastado em decorrência de doença ocupacional, ele irá receber o auxílio-doença acidentário, além de ter o direito a estabilidade.

Além disso, a empresa tem que realizar os depósitos do FGTS no período de afastamento.

Vale destacar que não há prazo de carência para que o trabalhador solicite o auxílio-doença.

Ainda está com dúvidas se COVID-19 é acidente de trabalho? Converse com um de nossos especialistas no assunto. O contato pode ser feito por meio do formulário no site ou pelo WhatsApp. O envio de documentos é totalmente digital e gratuito. 

Leia mais

Golpes com empréstimos
Direito do Consumidor

Como evitar golpes dos falsos empréstimos

Os golpes dos falsos empréstimos têm sido bastante frequentes nos últimos tempos. Muitos consumidores recorrem aos empréstimos para tentar solucionar os problemas financeiros, porém, acabam

Fale conosco

Estamos aqui para te ajudar.

Preencha o formulário e nosso time irá entrar em contato com você rapidamente.

Não se preocupe. Não utilizaremos seus dados para nenhuma finalidade a não ser para te ajudar a resolver seu problema.

Agradecemos por entrar em contato conosco! Nossa equipe irá te auxiliar imediatamente.