A I Turma Recursal do TJRJ entendeu por majorar a condenação por danos morais de R$4 Mil para R$8 MIL em virtude de atraso de voo internacional, considerando que o montante incialmente arbitrado não foi justo o suficiente para as peculiaridades do caso em questão.

Ao analisar o caso, a juíza SIMONE GASTESI CHEVRAND considerou que o atraso em viagem intennacional superior a 12 horas restou devidamente comprovado, sendo agravado pelo fato do autor ter compromissos profissionais no local de destino igualmente provados, acolhendo or argumentos do advogado do autor, Dr. Leonardo Reis Pinto.

A magistrada afirmou, ainda, que a companhia aérea não prestou as assistências obrigatórias ao passageiro como, por exemplo, hospedagem e alimentação, além de não ter demonstrado a ocorrência de qualquer fator externo que justificasse atraso de tamanho magnitude.

A decisão foi unânime e não cabe mais recurso.

A causa foi patrocinada pelo escritório Reis Pinto Advogados Associados.

Processo n.º 0232422-12.2018.8.19.0001